News

O leilão para construção da ponte Salvador-Ilha de Itaparica definiu o Consórcio Ponte Salvador Itaparica, integrado por três empresas chinesas, como o vencedor, no dia 13 de dezembro, na Bolsa de Valores (B3), em São Paulo. A licitação foi acompanhada pelo governador Rui Costa, pelo vice-governador João Leão, pelos secretários de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, e da Casa Civil, Bruno Dauster, pelo Procurado Geral do Estado, Paulo Moreno, e demais técnicos do Governo Estado que trabalharam durante a fase de estruturação interna da modelagem do projeto.

Formado pelas empresas China Railway 20 Bureau Group Corporation (CR20); CCCC South America Regional Company S.Á.R.L (CCCC SOUTH AMERICA) e China Communications Construction Company Limited (CCCCLTD), o consórcio terá um ano para elaborar o projeto e outros quatro anos para construir o equipamento. A gestão e administração da ponte terá duração de 30 anos. O investimento será de R$ 5,4 bilhões e o aporte do Estado será de R$ 1,5 bilhão. A previsão é que sejam gerados sete mil empregos durante a obra desta ponte que será a segunda maior da América Latina.

Com 12,3 quilômetros de extensão, a ponte integrará o Sistema Viário do Oeste, que também contempla a implantação dos acessos ao equipamento em Salvador, por túneis e viadutos, e em Vera Cruz, com a ligação à BA-001, junto com uma nova rodovia expressa, e a interligação com a Ponte do Funil, que também será revitalizada. A construção da ponte encurtará o tempo de deslocamento em cerca de 100 quilômetros, beneficiando de imediato 250 municípios e 10 milhões de pessoas das regiões oeste, sudoeste, sul e extremo sul.

“Esse é um projeto estratégico, e só por toda a sua complexidade e suas soluções inovadoras pensadas e adotadas já é digno de comemoração. É um projeto de infraestrutura que beneficiará gerações de baianos”, ressaltou Priscila Romano, coordenadora de Projetos da PPP na Bahia e ex-aluna do curso MBA PPP e Concessões. Ela representou a Secretaria Executiva de PPP, vinculada à Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz-Ba), durante o leilão.

A diretora de Operações da Empresa Baiana de Ativos (Bahiainveste) e também aluna do MBA PPP e Concessões, Camila Aguiar, enfatizou que a modelagem econômico-financeira foi revista pela empresa KPMG, contratada pela Bahiainveste.

Já o secretário executivo de PPP do Governo do Estado da Bahia, Rogério Princhak, que é professor do MBA, destacou pontos de relevância do projeto, como a  “precificação dos riscos com a utilização de modelo estocástico; a cláusula de way out; a assunção de risco cambial; o estudo do impacto socioeconômico pela McKinsey, que apontou durante a fase de construção o impacto na economia baiana de 3,6 vezes de crescimento para cada real investido e de 2,6 a 3,2 vezes de crescimento durante a operação; e a tarifa de pedágio reduzida para quem utilizar a ponte num prazo de até 24 horas”.

O projeto também envolveu a participação de outros ex-alunos do MBA PPP e Concessões.

Tramitação

O processo na Bolsa de Valores (B3) foi iniciado na última segunda-feira (9), com o recebimento da proposta das empresas interessadas em construir a ponte Salvador – Ilha de Itaparica. A comissão de licitação integrada por representantes das secretarias de Infraestrutura (Seinfra), de Desenvolvimento Urbano (Sedur) e da Casa Civil recebeu o material que foi analisado pela B3, empresa especializada no mercado financeiro. Na ocasião, foram avaliadas as garantias, as propostas econômicas escritas e os documentos de qualificação.

***************

Release: Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia – Sefaz/BA

Foto: Divulgação/Governo da Bahia

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário